A Quinta da Chinchorra foi adquirida em 1998 pelo actual proprietário Alfredo Gomes Bastos, encontrando-a com cerca de 50% da área da vinha abandonada. Esta foi totalmente renovada em patamares com novas plantações de castas tradicionais do Douro (Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Nacional e Touriga Franca).
Em 2002 as instalações foram modernizadas com novos equipamentos de vinificação, equipando-se a mesma com cubas de Inox com temperatura controlada e sistema de armazenamento em barricas de Carvalho Francês.
O início da comercialização deu-se em 2003 com os vinhos Reserva, Tinta Roriz e DOC colheita da 2002 e continuou em Outubro de 2004 com a colheita de 2003.
Em 2002 foi igualmente adquirida a “Quinta do Cascalhal”.
Trata-se de uma Quinta que possui vinhas muito antigas, com cerca de 70 anos, com as castas Tinta Roriz, Mourisco, Touriga Franca, Tinta Barroca, Refete, Tinta Amarela, Piriquita, Tinto Cão, Tinta Francisca, Bastardo e Sousão.
Estas castas, pela sua especificidade, são muito apreciadas e de elevada qualidade, contribuindo assim para o enriquecimento dos vinhos do Douro.

A modernização da “Quinta da Chinchorra continuou em 2005 com a construção de um novo armazém, com uma nova linha de engarrafamento automático, e armazenagem dos vinhos em contentores especiais, com climatização controlada por sistema de ar condicionado, tornando-se numa empresa com potencial e adequada às evoluções do mercado.
Entretanto a produção foi diversificada, e para além dos vinhos tintos reserva, procedeu-se à produção de vinhos Brancos Reserva e Roses.
Ao Vinhos “Quinta da Chinchorra Douro” têm sido objecto de diversas distinções e elogios, nomeadamente na comunicação social impressa.
 
O vinho “Quinta da Chinchorra Douro Tinto Reserva 2004” foi premiado com a medalha de prata no “Concurso Nacional dos Vinhos Engarrafados 2007”. Este vinho foi igualmente seleccionado pela revista “Néctar”, como “Os melhores vinhos de 2007”.

No curto período de existência da Quinta da Chinchorra os seus vinhos tiveram uma receptividade excelente, o que deixa antever um futuro, onde irá prevalecer a reputação de um vinho com extraordinária aceitação, qualidade e prestígio.